.

terça-feira, 6 de março de 2018

ACJUS homenageia sindicalista Manoel Costa de Andrade



A ACJUS (Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró), em sua primeira sessão do ano, realizada em 23 de fevereiro, prestou homenagem ao líder social e sindicalista Manoel Costa De Andrade- In Memoriam. Trata-se da sessão de exaltação ao patrono da cadeira nº 01 ocupada pelo presidente da entidade, o acadêmico José Wellington Barreto. A sessão de elogio ocorreu no Auditório da Estação das Artes – Elizeu Ventania – Mossoró. O rito confere imortalidade acadêmica a Wellington.  

José Wellington Barreto é patuense de nascimento e mossoroense por adoção. É Formado em ciências jurídicas e sociais pela UERN e exerce o ofício da advocacia há mais de 30 anos. É também geógrafo e cientista social. Leciona geografia, sociologia, antropologia, filosofia, história, economia e direito. É sócio fundador e foi presidente por duas vezes da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Norte- AMLERN.

É também sócio fundador e atual presidente da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS - e foi recentemente eleito para uma das cadeiras da Academia Mossoroense de Letras – AMOL. É sócio correspondente da Academia de Letras e Artes de Martins- ALAM – e membro titular da Academia Patuense de Letras e Artes- APLA. É sócio correspondente da Academia Cearense de Direito – ACED.
Jornalista, radialista (atuou nas Rádios: Difusora, Tapuio, Libertadora e FM 93), o presidente da ACJUS é ainda escritor e já publicou diversos trabalhos. Foi vereador em Mossoró e Secretário Municipal. Trabalhou como assessor parlamentar na Câmara dos Deputados em Brasília - foi vice-presidente e presidente do Diretório Central dos Estudantes da UERN, diretor e presidente do Baraúnas.
Atualmente é membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Mossoró e presidiu a Comissão da Memória e da Verdade. Participa da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço – SBEC e do Instituto Cultural do Oeste Potiguar – ICOP. Colaborou com o extinto Jornal Gazeta do Oeste, escrevendo uma coluna semanal e já nos idos de 1985 fundou o jornal O Comunitário, periódico impresso que circulou em Mossoró até o final do ano de 2011. Foi líder comunitário e guerreiro da luta social de Mossoró e do Rio Grande do Norte, sendo eleito presidente do Conselho Comunitário do Bairro Abolição IV- Mossoró, por duas vezes consecutivas, eleito Coordenador Regional da Federação dos Conselhos Comunitários e Entidades Beneficentes do Estado do Rio Grande do Norte – FECEB-RN e  vice-presidente da União das Entidades Comunitárias de Mossoró-UNECOM.

Fotos: Célio Duarte.